Revista Terapia Holística

Autoconhecimento Via I Ching

O Receptivo - Arte Digital: Henrique Vieira FilhoJá soma, literalmente, milhares de anos, a fascinação de grandes pensadores em relação ao I Ching, o mais antigo livro da humanidade. Para muitos, uma obra que propicia autoconhecimento, para outros, um oráculo capaz de esclarecer as mais variadas questões. Outrossim, como acessamos, na prática, tamanho arsenal de sabedoria ? Teceremos alguns "paralelos" para tornar o entendimento mais lúdico e fácil de memorizar... Consideremos que o I Ching é uma "linguagem", que se escreve variando apenas duas "letras" (ou Yang - linha inteira, ou Yin - linha interrompida), que formam "idéias" a cada três linhas (trigramas...) e que compõem um entendimento complexo com a soma de dois trigramas (seis linhas sobrepostas - hexagramas).

A lista de tópicos classificáveis ou como Yang, ou como Yin, seria "infinita", já que abrange tudo o que conhecemos.  A tabela, a seguir, é mínima e objetiva tão somente facilitar a compreensão de alguns temas relacionados aos passos iniciais para o I Ching:

Yang

___
Linha contínua


- números ímpares

Círculo vazio, claro


Moeda: lado "cara"


Céu - contínuo, sem fim, imaterial

Masculino, Sol, pai, filho, dia, semeador, inspirador, criativo


 
Yin

_  _
Linha interrompida


- números pares

Círculo cheio, escuro


Moeda: lado "coroa"



Terra - com relevo, altos e baixos, finito, matéria

Feminino, Lua, mãe, filha, noite, fecunda, inspirada, conceptiva 
Ao consultarmos o I Ching, buscamos definir um hexagrama (seis linhas), escrito verticalmente, de baixo para cima, e cada "letra" (linha...) é definida como Yin ou Yang, mediante formas específicas de "sorteio" (varetas, moedas, softwares de computador, etc).

Independente do método utilizado para este "sorteio", o resultado é traduzido em NÚMEROS (ou 6, ou 7, ou 8, ou 9): se for par, gera linha Yin, e se for ímpar, resulta em linha Yang.

Exemplificaremos com a utilização de três moedas, que é um dos mais populares instrumentos para a chegar-se ao hexagrama.

Por convenção, o lado "cara" é Yang e seu valor númérico é 3 (três), enquanto que a face "coroa" é Yin, e seu valor é 2 (dois). A soma dos valores das três moedas resulta ou 6, ou 7, ou 8, ou 9, repetindo-se o procedimento por seis vezes, até formar o hexagrama.

Exemplo: mentalizando uma questão e/ou uma situação em que se busca esclarecimentos, são lançadas três moedas, somando seus valores e grafando Yang ou Yin, de acordo com a convenção. Repete-se o procedimento, até completar as 6 linhas, escritas verticalmente, de baixo para cima.

A ilustração a seguir, resultou da pergunta "Como ensinar o I Ching da melhor forma ?":



=> 2 + 2 + 2 = 6 => Ying = _  _  (6a linha)



=> 2 + 2 + 2 = 6 => Ying = _  _ (5a linha)





=> 2 + 2 + 3 = 7 => Yang = ___ (4a linha)




=> 2 + 2 + 3 = 7 => Yang = ___ (3a linha)




=> 3 + 2 + 3 = 8 => Yin = _  _ (2a linha)




=> 3 + 3 + 3 = 9 => Yang = ___ (1a linha)



O resultado gráfico está a seguir:








Propositadamente, destacamos, em vermelho, algumas das linhas, justamente aquelas que derivaram de uma situação estatisticamente mais rara: as três moedas apresentando a mesma face (3 "caras" somam 3+3+3=9 e/ou 3 "coroas" => 2+2+2=6). Linhas que se encontram nesta situação estão no auge do Yang ou do Yin, respectivamente, o que implica que estão prestes a se transformar em seus opostos complementares, resultando em OUTRO hexagrama. Tais linha são denominadas "móveis" e explicaremos de forma mais aprofundada, no decorrer de nossos artigos, a sua importância como complemento às informações do hexagrama original.


Uma vez obtido o hexagrama, podemos nos valer de livros que se propõem a explicá-los, sendo a obra a seguir, a mais utilizada:


I CHING - O LIVRO DAS MUTAÇÕES
Autor: Wilhelm , Richard
Assunto: I Ching
ISBN: 978-85-315-0314-6
Idioma: Português
Tipo de Capa: Brochura
Edição: 25ª edição - Editora Pensamento
Número de Páginas: 548







Com o objetivo de facilitar o entendimento e, até mesmo, a localização nas páginas dos livros, habitualmente consideramos o hexagrama, como a junção de 2 trigramas, um abaixo, outro acima, chamados respectivamente de "inferior" e "superior". Pertinente pontuarmos que não se trata de um ser "melhor", ou "mais importante" do que outro, sendo apenas referências ao seus posicionamentos.

Em nosso exemplo, temos:

Acima, o trigrama Chên (O Incitar, o Movimento, o Trovão):
 
 
 
Abaixo, o trigrama Li (O Aderir, o Fogo, a Luz, o Relâmpago):
 
 
 

Utilizando uma tabela prática como a seguinte, por semelhança, localizamos o trigrama inferior na coluna vertical à esquerda e o superior, na primeira linha e, na interseção, encontramos o HEXAGRAMA, juntamente com um número que lhe foi atribuído e por este é que procuramos nos livros, qual página que contém os seus significados (costumam estar distribuídos em ordenação crescente, com a mesma numeração padronizada por Richard Wilhelm...).

Continuando com nosso exemplo, a interseção da vertical com a horizontal, encontramos o Hexagrama de número 55, cujo nome é FÊNG, e tem seu sentido traduzido como A Plenitude / A Abundância:

Trigrama
superior →
inferior ↓
Trigramme qián du Yi Jing Chi´ien, o Criativo
Céu
Trigramme zhèn du Yi Jing
Chên, o Incitar
Trovão
Trigramme k?n du Yi Jing
K´an, o Abismal
Água
Trigramme gèn du Yi Jing
Kên, a Quietude
Montanha
Trigramme k?n du Yi Jing
K´un, o Receptivo
Terra
Trigramme xùn du Yi Jing
Sun, a Suavidade
Vento
Trigramme lí du Yi Jing
Li, o Aderir
Fogo
Trigramme duì du Yi Jing
Tui, a Alegria
Lago
Trigramme qián du Yi Jing Chi´ien, o Criativo
Céu
Hexagramme 1 du Yi Jing
1
Hexagramme 34 du Yi Jing
34
Hexagramme 5 du Yi Jing
5
Hexagramme 26 du Yi Jing
26
Hexagramme 11 du Yi Jing
11
Hexagramme 9 du Yi Jing
09
Hexagramme 14 du Yi Jing
14
Hexagramme 43 du Yi Jing
43
Trigramme zhèn du Yi Jing Chên, o Incitar
Trovão
Hexagramme 25 du Yi Jing
25
Hexagramme 51 du Yi Jing
51
Hexagramme 3 du Yi Jing
3
Hexagramme 27 du Yi Jing
27
Hexagramme 24 du Yi Jing
24
Hexagramme 42 du Yi Jing
42
Hexagramme 21 du Yi Jing
21
Hexagramme 17 du Yi Jing
17
Trigramme k?n du Yi Jing K´an, o Abismal
Água
Hexagramme 6 du Yi Jing
6
Hexagramme 40 du Yi Jing
40
Hexagramme 29 du Yi Jing
29
Hexagramme 4 du Yi Jing
4
Hexagramme 7 du Yi Jing
7
Hexagramme 59 du Yi Jing
59
Hexagramme 64 du Yi Jing
64
Hexagramme 47 du Yi Jing
47
Trigramme gèn du Yi Jing Kên, a Quietude
Montanha
Hexagramme 33 du Yi Jing
33
Hexagramme 62 du Yi Jing
62
Hexagramme 39 du Yi Jing
39
Hexagramme 52 du Yi Jing
52
Hexagramme 15 du Yi Jing
15
Hexagramme 53 du Yi Jing
53
Hexagramme 56 du Yi Jing
56
Hexagramme 31 du Yi Jing
31
Trigramme k?n du Yi Jing K´un, o Receptivo
Terra
Hexagramme 12 du Yi Jing
12
Hexagramme 16 du Yi Jing
16
Hexagramme 8 du Yi Jing
8
Hexagramme 23 du Yi Jing
23
Hexagramme 2 du Yi Jing
2
Hexagramme 20 du Yi Jing
20
Hexagramme 35 du Yi Jing
35
Hexagramme 45 du Yi Jing
45
Trigramme xùn du Yi Jing Sun, a Suavidade
Vento
Hexagramme 44 du Yi Jing
44
Hexagramme 32 du Yi Jing
32
Hexagramme 48 du Yi Jing
48
Hexagramme 18 du Yi Jing
18
Hexagramme 46 du Yi Jing
46
Hexagramme 57 du Yi Jing
57
Hexagramme 50 du Yi Jing
50
Hexagramme 28 du Yi Jing
28
Trigramme lí du Yi Jing Li, o Aderir
Fogo
Hexagramme 13 du Yi Jing
13
Hexagramme 55 du Yi Jing
55
Hexagramme 63 du Yi Jing
63
Hexagramme 22 du Yi Jing
22
Hexagramme 36 du Yi Jing
36
Hexagramme 37 du Yi Jing
37
Hexagramme 30 du Yi Jing
30
Hexagramme 49 du Yi Jing
49
Trigramme duì du Yi Jing Tui, a Alegria
Lago
Hexagramme 10 du Yi Jing
10
Hexagramme 54 du Yi Jing
54
Hexagramme 60 du Yi Jing
60
Hexagramme 41 du Yi Jing
41
Hexagramme 19 du Yi Jing
19
Hexagramme 61 du Yi Jing
61
Hexagramme 38 du Yi Jing
38
Hexagramme 58 du Yi Jing
58


Em conformidade à teoria junguiana (relativa a Carl Gustav Jung, um dos maiores psicanalistas da história....) da Sincronicidade, ocorre uma "coincidência significativa" entre nosso estado pessoal e o hexagrama resultante no mesmo momento. A isso se soma o fato de que os 64 hexagramas do I Ching, cada um, simboliza situações arquetípicas (comuns à toda humanidade...), o que induz a que nos identifiquemos ainda mais.

Assim sendo, ao lermos as explicações relacionadas ao hexagrama "sorteado", comumente chegamos a um "insight" (como que um "lampejo" maior de consciência, uma compreensão maior do que nos ocorre, que emerge prontamente...) que nos esclarece a dúvida. Ou seja, o I Ching atua como um espelho de nós mesmos, uma porta de acesso ao nosso inconsciente, proporcionando respostas que antes permaneciam fora do alcance consciente.

Tradicionalmente, a literatura sobre o I Ching apresenta cada hexagrama destacando o significado dos dois trigramas que o compõe. A obra já referida, de Richard Wilhelm, apresenta o seguinte comentário inicial, do próprio autor e do tradutor, para o nosso exemplo:


55 - FÊNG /ABUNDÂNCIA (PLENITUDE)

Acima CHÊN, O INCITAR, TROVÃO.
Abaixo LI, O ADERIR, CHAMA.

Chên é o movimento, Li, a chama, cujo atributo é a claridade. Clareza interna e movimento externo geram grandeza e abundância. Este hexagrama representa uma época de grande desenvolvimento cultural. Mas o próprio fato de se ter atingido a culminância implica na impossibilidade de permanência dessa condição excepcional de abundância.

Aqui mais uma vez se aplica a idéia de que ciclos opostos se alternam ininterruptamente em todo o universo, noção essa que permeia todo o Livro das Mutações. Ao ser atingido um ápice num ciclo qualquer (yang ou yin), o movimento se inverte, com a gradual redução do que até então prevalecera, enquanto ao mesmo tempo ressurge o que até então minorava. (Nota da tradução brasileira.)

Na sequência, a obra apresenta a interpretação do hexagrama segundo sábios da antiguidade, artigos estes denominados "julgamentos" ou "decisões" e que são atribuídos ao Rei Wên, de Chou.

Quanto ao nosso hexagrama exemplo:

JULGAMENTO

A ABUNDÂNCIA tem sucesso. O rei atinge a abundância. Não fique triste. Seja como o sol ao meio-dia.

Nem todo mortal está destinado a promover uma época de suprema grandeza e abundância. Só um líder nato é capaz disso, pois sua vontade é voltada para grandes metas. Uma tal época de abundância é, em geral, breve. Em virtude disso, o sábio poderia entristecer-se ao perceber a decadência que deverá se seguir. Mas essa tristeza não lhe é adequada. Só um homem interiormente livre de tristezas e preocupações pode promover uma época de abundância. Ele deve ser como o sol ao meio-dia, que ilumina e alegra a tudo que existe sob o céu.

A literatura sobre o I Ching também nos brinda com outra linha interpretativa, atribuída ao filósofo Confúcio, que são denominadas "imagens" por nos transmitir uma sensação mais "visual", como uma panorama da natureza resultando da interação dos dois trigramas que compõem o hexagrama.

Especificamente sobre o nosso exemplo:
 
IMAGEM

Trovão e relâmpago surgem: a imagem da ABUNDÂNCIA. Assim o homem superior decide processos e executa as penas.

Esse hexagrama tem certa relação com o hexagrama 21, MORDER, onde também há trovão e relâmpago, porém, em ordem inversa. Enquanto lá as leis são estabelecidas, aqui elas são aplicadas e executadas. A clareza interior (Li) possibilita uma exata investigação dos fatos, enquanto a comoção exterior (Chên) garante a firme e precisa execução das penas.

Complementando cada hexagrama, em textos atribuídos ao filho do Rei Wên, ou seja, o Duque de Chou, o significado de cada linha foi destacado e são tradicionalmente consideradas na interpretação, justamente as linhas que foram resultantes de extremo yin (no caso do sorteio com moedas, seria a situação das três terem saído com COROA, cuja somatória é SEIS ) e/ou yang (para as moedas, três lados CARA, totalizando a soma de NOVE). Tais linhas são chamadas de MÓVEIS, justamente por estarem no limiar de se transformarem em seus opostos (yin virará yang e/ou yang, se transmuta em yin...).

Focando em nosso exemplo, as linhas móveis são a 1a, a 5a e a 6a (contadas sempre de baixo, para cima....), que destacamos em vermelho, para facilitar a visualização:










Na sequência de nosso hexagrama exemplo, a literatura nos fornece os comentários para todas as seis linhas, sendo que, por questões didáticas, negritamos as que são específicas ao caso e "riscamos" as que não vem ao caso:
 

LINHAS

Nove na primeira posição significa:

Quando um homem encontra o governante que lhe é destinado, podem permanecer juntos dez dias e isso não será um erro. Ir provoca o reconhecimento.

Para promover uma época de plenitude é necessário unir à clareza um enérgico movimento. Quando duas pessoas reúnem esse par de atributos, há entre elas uma correspondência, e mesmo que elas permaneçam.juntas ao longo de todo um período, durante o ciclo da abundância, isso não representará um tempo demasiado, nem deve ser considerado um erro. Por isso, pode-se seguir adiante para agir; essa iniciativa encontrará reconhecimento.


Seis na segunda posição significa:

A cortina é tão densa que se pode ver a estrela polar  ao meio-dia. Seguir adiante provocará desconfiança e ódio. Se o despertarem através da verdade,a boa fortuna virá.

Muitas vezes, disputas e intrigas facciosas, de efeito semelhante ao obscurecimento causado por um eclipse solar, vêm se interpor entre um governante que busca realizar grandes tarefas e o homem que poderia levá-las a cabo. Então, no céu ao invés do sol se vê a estrela polar. A presença do governante é obscurecida por um grupo que usurpou o poder. Se, numa tal época, um homem quiser agir de maneira enérgica, encontrará apenas desconfiança'e inveja, o que impossibilita qualquer movimento. O essencial, então, é manter-se interiormente fiel ao poder da verdade, pois ela é tão poderosa que, ao final, terminará por exercer uma invisível influência sobre o governante, e tudo acabará bem.

Nove na terceira posição significa:

O arbusto é tão denso que se vêem pequenas estrelas ao meio-dia.
Ele quebra seu braço direito.Nenhuma culpa.

Isto simboliza o obscurecimento progressivo do sol. Aqui o eclipse é total, e ao meio-dia podem-se ver até mesmo pequenas estrelas.

No âmbito das relações sociais isto significa que a figura do príncipe sofreu um tal obscurecimento que mesmo as pessoas mais insignificantes podem se sobressair. Com isso, um homem capaz, que poderia ser o braço direito do governante, fica impossibilitado de realizar qualquer coisa. É como se seu braço estivesse quebrado. Mas ele não tem culpa de estar assim impedido de agir.

Nove na quarta posição significa:

A cortina é tão densa que se pode ver a estrela polar ao meio-dia.
Ele encontra seu governante, o qual se lhe assemelha.
Boa fortuna!

Nesse ponto a escuridão já está em declínio e, por isso, aqueles que têm afinidade entre si podem se encontrar. Aqui também é necessário encontrar uma complementação; à alegria da ação deve-se aliar a necessária sabedoria. Então tudo correrá bem. O fator complementar postulado aqui tem um sentido oposto ao da primeira linha. Lá a sabedoria deveria procurar se unir à energia. Aqui a energia deve ser complementada pela sabedoria.


Seis na quinta posição significa:

Linhas chegam, bênçãos e fama se aproximam. Boa fortuna.

O governante é modesto e escuta os conselhos dos homens capazes. Por isso acercam-se dele pessoas que lhe sugerem linhas de ação. Isso traz bênçãos, fama e boa fortuna tanto para ele como para seu povo.

Seis na sexta posição significa:

Sua casa encontra-se na abundância.
Ele esconde sua família,espreita através do portão e já não percebe mais ninguém.
Durante três anos ele não vê mais nada.
Infortúnio!

Isso descreve um homem que, por sua arrogância e obstinação, atinge o oposto do que anseia. Ele procura abundância e esplendor para sua moradia. Deseja a todo custo ser o senhor absoluto em sua casa, mas isto o afasta de sua própria família a tal ponto que, ao final, ele se vê completamente só.



Sempre lembrando que o I Ching nos apresenta um "espelho" de nós mesmos... Já o hexagrama "sorteado" atua como uma "fotografia" de nosso momento atual, possibilitando a percepção de detalhes que antes nos "escapavam" ao entendimento. Alguns de nós, se identificarão mais com os JULGAMENTOS, outros, terão melhores "insights" ao tentar visualizar as IMAGENS, enquanto que as LINHAS MÓVEIS podem ser o que nos desperte a intuição quanto à resposta procurada....

Em nosso exemplo, a pergunta ("Como ensinar o I Ching da melhor forma ?") se originou justamente de minha preocupação pessoal em realizar o melhor possível a tarefa de ensinar o I Ching, já que antes de aceitar este desafio, nunca havia me ocupado em escrever sobre o tema, pois fazia uso apenas pessoal, como ferramenta de autoconhecimento.

Particularmente, me identifiquei com a IMAGEM do RELÂMPAGO abaixo e o TROVÃO acima, ou seja, uma grande força da natureza inevitavelmente se manifestando e, com isso, aliviando uma grande tensão, graças à descarga. Nas mais variadas culturas, os raios são instrumentos divinos para impor justiça. O meu "insight" quanto a isso é relacionado à quantidade de equívocos que venho constatando na literatura sobre o tema, em especial, quanto à interpretação do significado de cada trigrama e suas correlações com a escola dos Cinco Movimentos. Ou seja, meu trabalho sobre o I Ching irá resgatar idéias originais, mas, certamente irá contra algumas obras públicadas sobre o tema específico e, também, os correlatos, como a Acupuntura e o Feng Shui.

Existe outra imagem complementar: abaixo, a LUZ; acima, o MOVIMENTO, idéias estas igualmente cabíveis às definições amplas dos dois trigramas, que se somam num hexagrama que indica a "iluminação", uma clarificação que se expande em todas as direções, ou seja, o ESCLARECIMENTO. Ou seja, uma boa oportunidade de compartilhar conhecimento, facilitando, com o trabalho proposto, a que muito mais colegas venham a conhecer o I Ching. Esta interpretação vem em concordância ao escrito no JULGAMENTO.

Outrossim, tanto a interpretação "visual", quanto a "textual" do hexagrama exemplo, indica a um apogeu (plenitude....), o que naturalmente dá origem ao seu oposto (alternância yin/yang...), iniciando a decadência, constando o alerta para não me deixar abater quanto a isto. O "insight" que me vem é a de que haverá um grande interesse, muitas pessoas se somarão ao trabalho, mas que, como tudo, com o passar do tempo a dedicação à proposta irá decaindo.

Já as LINHAS MÓVEIS transmitem a "dica" de como tal ocorrerá na "linha do tempo", sendo a 1a linha mais indicativa do presente, indo em direção ao "futuro", até a 6a linha... A 1a linha reforça minha interpretação inicial de que colegas interessados irão aderir à proposta; a 5a, confirma o sucesso desse trabalho, enquanto todos eu acatar o conhecimento dos demais, culminado na 6a linha, ou seja, ou seja, no futuro em que o projeto atingir o auge, estarei só neste trabalho, não dando ouvidos a mais ninguém. Daí, claro, após a PLENITUDE, só pode vir o decaimento.

Em resumo: na proposta de melhor ensinar o I Ching, implica em questionar as distorções interpretativas de alguns autores, somar esforços com os colegas e fazer tudo isso SEM me entristecer, aceitando que após o sucesso da empreitada, é natural que surja um período de desinteresse, onde ficarei só neste projeto, inclusive, por minha própria arrogância.


Outro fator interessante, para os hexagramas que apresentam LINHAS MÓVEIS é que podemos extrapolar, em direção ao "futuro", simplesmente "movendo", ou melhor, transmutando estas linhas para seu oposto complementar, gerando com isso, um OUTRO hexagrama. De acordo com a tradição, este hexagrama nos mostra como será o panorama seguinte, SE nossas ações forem conduzidas em conformidade às orientações do hexagrama original...

Em nosso exemplo:

Original:   Resultante:
 
"Move" para:
 
 
"Move" para:
 
 
Não se "move"
 
 
Não se "move"
 
 
Não se "move"
 
 
"Move" para:
 


Ou seja, ao seguirmos as orientações do hexagrama inicialmente obtido (em nosso exemplo, o de número 55 - FÊNG => ABUNDÂNCIA/PLENITUDE...), graças às mutações das linhas móveis, sabemos que o "futuro" ao qual tendemos é representando por:

Acima, o trigrama Chien (O Criativo, o Céu):
 
 
 
Abaixo, o trigrama Kên (A Quietude, a Montanha):
 
 
 

Continuando com nosso exemplo, a interseção da vertical com a horizontal, encontramos o Hexagrama de número 33, cujo nome é TUN, e tem seu sentido traduzido como A Retirada:

Trigrama
superior →
inferior ↓
Trigramme qián du Yi Jing Chi´ien, o Criativo
Céu
Trigramme zhèn du Yi Jing
Chên, o Incitar
Trovão
Trigramme k?n du Yi Jing
K´an, o Abismal
Água
Trigramme gèn du Yi Jing
Kên, a Quietude
Montanha
Trigramme k?n du Yi Jing
K´un, o Receptivo
Terra
Trigramme xùn du Yi Jing
Sun, a Suavidade
Vento
Trigramme lí du Yi Jing
Li, o Aderir
Fogo
Trigramme duì du Yi Jing
Tui, a Alegria
Lago
Trigramme qián du Yi Jing Chi´ien, o Criativo
Céu
Hexagramme 1 du Yi Jing
1
Hexagramme 34 du Yi Jing
34
Hexagramme 5 du Yi Jing
5
Hexagramme 26 du Yi Jing
26
Hexagramme 11 du Yi Jing
11
Hexagramme 9 du Yi Jing
09
Hexagramme 14 du Yi Jing
14
Hexagramme 43 du Yi Jing
43
Trigramme zhèn du Yi Jing Chên, o Incitar
Trovão
Hexagramme 25 du Yi Jing
25
Hexagramme 51 du Yi Jing
51
Hexagramme 3 du Yi Jing
3
Hexagramme 27 du Yi Jing
27
Hexagramme 24 du Yi Jing
24
Hexagramme 42 du Yi Jing
42
Hexagramme 21 du Yi Jing
21
Hexagramme 17 du Yi Jing
17
Trigramme k?n du Yi Jing K´an, o Abismal
Água
Hexagramme 6 du Yi Jing
6
Hexagramme 40 du Yi Jing
40
Hexagramme 29 du Yi Jing
29
Hexagramme 4 du Yi Jing
4
Hexagramme 7 du Yi Jing
7
Hexagramme 59 du Yi Jing
59
Hexagramme 64 du Yi Jing
64
Hexagramme 47 du Yi Jing
47
Trigramme gèn du Yi Jing Kên, a Quietude
Montanha
Hexagramme 33 du Yi Jing
33
Hexagramme 62 du Yi Jing
62
Hexagramme 39 du Yi Jing
39
Hexagramme 52 du Yi Jing
52
Hexagramme 15 du Yi Jing
15
Hexagramme 53 du Yi Jing
53
Hexagramme 56 du Yi Jing
56
Hexagramme 31 du Yi Jing
31
Trigramme k?n du Yi Jing K´un, o Receptivo
Terra
Hexagramme 12 du Yi Jing
12
Hexagramme 16 du Yi Jing
16
Hexagramme 8 du Yi Jing
8
Hexagramme 23 du Yi Jing
23
Hexagramme 2 du Yi Jing
2
Hexagramme 20 du Yi Jing
20
Hexagramme 35 du Yi Jing
35
Hexagramme 45 du Yi Jing
45
Trigramme xùn du Yi Jing Sun, a Suavidade
Vento
Hexagramme 44 du Yi Jing
44
Hexagramme 32 du Yi Jing
32
Hexagramme 48 du Yi Jing
48
Hexagramme 18 du Yi Jing
18
Hexagramme 46 du Yi Jing
46
Hexagramme 57 du Yi Jing
57
Hexagramme 50 du Yi Jing
50
Hexagramme 28 du Yi Jing
28
Trigramme lí du Yi Jing Li, o Aderir
Fogo
Hexagramme 13 du Yi Jing
13
Hexagramme 55 du Yi Jing
55
Hexagramme 63 du Yi Jing
63
Hexagramme 22 du Yi Jing
22
Hexagramme 36 du Yi Jing
36
Hexagramme 37 du Yi Jing
37
Hexagramme 30 du Yi Jing
30
Hexagramme 49 du Yi Jing
49
Trigramme duì du Yi Jing Tui, a Alegria
Lago
Hexagramme 10 du Yi Jing
10
Hexagramme 54 du Yi Jing
54
Hexagramme 60 du Yi Jing
60
Hexagramme 41 du Yi Jing
41
Hexagramme 19 du Yi Jing
19
Hexagramme 61 du Yi Jing
61
Hexagramme 38 du Yi Jing
38
Hexagramme 58 du Yi Jing
58


Consultando o livro de Richard Wilhelm, encontramos as explicações a seguir:

33.TUN/A RETIRADA

Acima CHIEN, O CRIATIVO, CÉU.
Abaixo KÊN, A QUIETUDE, MONTANHA.

O poder obscuro ascende. O luminoso se retira a uma posição segura, de modo a que a escuridão não possa alcançá-lo. Esse recuo é resultante não do arbítrio humano, mas das leis que governam a natureza. É por isso que a retirada, nesse caso, é o caminho certo de ação, evitando um esgotamento.39

No calendário, este hexagrama é associado ao sexto mês (julho-agosto),40 quando as forças do inverno voltam a mostrar sua influência.


39 A idéia expressa nesse hexagrama é semelhante à expressão de Cristo: "Eu vos digo: não resistais ao mal" (Mateus. 5:39)
40 Referente ao hemisfério norte. Cf. nota 14 (hexagrama 11, PAZ). (Nota da tradução brasileira. )
 
JULGAMENTO

A RETIRADA. Sucesso.

Em pequenas coisas, a perseverança é favorável.

As circunstâncias são de tal ordem que as forças hostis, favorecidas pelo tempo, avançam. Neste caso a retirada é a atitude correta, levando por isso ao sucesso. O êxito consiste em afastar-se da maneira adequada. Retirar-se não é o mesmo que fugir. Na fuga, busca-se apenas salvar a si mesmo, a qualquer preço. A retirada, ao contrário, é um sinal de força. Não se deve perder o momento adequado, enquanto ainda se possui força e posição. Assim se poderá interpretar a tempo os sinais do momento, e preparar uma retirada provisória e oportuna, em vez de se envolver numa luta desesperada de vida ou morte.

Deste modo não se abandona simplesmente o campo ao inimigo, porém dificulta-se-lhe o avanço, resistindo em setores específicos. Desta forma, durante a retirada já se prepara o contra-ataque. Não é fácil se compreender as leis de uma tal retirada construtiva. O significado que jaz oculto em tais épocas é importante.

IMAGEM

Montanha abaixo do céu: a imagem da RETIRADA. Assim o homem superior mantém o inferior à distância não com raiva, porém com reserva.

A montanha ergue-se sob o céu, mas em virtude de sua natureza, ao final se detém. Por outro lado, o céu retira-se para o alto, distancia-se e permanece fora de alcance. Isto simboliza o comportamento do homem superior diante da ascensão do inferior. Ele se recolhe a seu próprio interior. Mas não o faz por ódio, pois o ódio é uma forma de envolvimento subjetivo através do qual se permanece ligado ao objeto odiado. A força (céu) do homem superior é demonstrada pelo fato de ele provocar a contenção (montanha) do homem inferior através de seu equilíbrio e recato.

Notem que aqui, não teremos linhas móveis, já que este hexagrama já foi obtido por este recurso, em relação ao inicial. Lendo tanto o JULGAMENTO, quanto a IMAGEM, o que "ecoou" no meu ser foi que após a PLENITUDE anunciada no hexagrama anterior, seguida do desinteresse, haverá ainda muitas pessoas criticando o trabalho realizado. E que devo me portar tal qual a MONTANHA, em quietude, em confirmidade com a "vontade" do universo (CÉU...), sem perder tempo em discutir, pois isso só emprestaria importância a quem não as merece...

Enfim, meus sinceros votos que com esse "passo-a-passo" e exemplo apresentado, todos possam iniciar e/ou se aprofundar nesta que é, certamente, uma das obras escritas mais significativas de todos os tempos: I Ching - O Livro das Mutações !

Para conhecer mais, acesse também:

I Ching - Uma Antiga/Nova Linguagem Ao Seu Alcance

Acupuntura, Feng Shui e I Ching: Um Só Fundamento

I Ching E Jung

I Ching - O Software Do EU

Os Cinco Movimentos Chineses

Sincronicidade


Henrique Vieira Filho

Henrique Vieira Filho - Terapeuta Holístico - CRT 21001, é autor de diversos livros da profissão, ministra aulas na CEATH - Comunidade de Estudos Avançados em Terapia Holística.

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

(11) 3171-1913