A Cadeira de Van Gogh x A Cadeira de Gauguin

Arteterapia

O CONFLITO REVELADO PELA ARTETERAPIA

 

Como é de conhecimento geral, o desequilíbrio sofrido por Vicent Van Gogh teve representação direta em suas obras.

 

Notamos um dos momentos mais tensos da vida do autor quando confrontamos duas de suas obras:A Cadeira de Van Goghe aCadeira de Gauguin, ambas pintadas em dezembro de 1888, num momento de aproximação entre os dois artistas.

Paul Gauguin e Vicent Van Gogheram amigos e artistas, contemporâneos na arte, chegando a dividir o ateliê em Arles, França, mas por fortes divergências temperamentais afastaram-se.

A relação conturbada e o distanciamento é marcado pela vazio nas cadeiras, enquanto os objetos pintados denotam a diferença entre eles.

Na obraA Cadeira de Van Goghnota-se elementos que bem representam o autor, inseridos de forma tal que é visível a mensagem do artista para com o observador.

A cadeira de palha, sem braços (sem apoio), exposta a luz natural representa a simplicidade e a vida rústica, vivida a gosto de Van Gogh.

Em seu assento encontra-se o cachimbo e a bolsa de tabaco, os quais mostram a ideia de que nada mais se faz necessário, e que os objetos do dia a dia são a inspiração na composição da obra.

Van Gogh raramente assinava suas obras...

Porém, vemos nesta, não como uma assinatura mas sim como um detalhe, posicionado de forma discreta, misturada ao fundo (o convencional é na parte direita inferior da tela), confundindo-se com o nome de uma empresa grifado na caixa.

Nessa mesma caixa, nota-se a “cebola crescendo, brotando”, o qual mostra a preferência do artista pela representação a partir dos itens da natureza, oposta à idéia de Gauguin, onde toda a criação deve vir a partir da imaginação.

As pinceladas, densas e grossas, eram o oposto adotado pela arte acadêmica. As cores vivas das gravuras japonesas que representavam a quebra das rigidez nas perspectivas é vista nos pisos de lajotas, de forma exagerada, causando um efeito desorientador, como se a obra deslizasse em direção ao observador.

Já em contraponto, a Cadeira de Gauguin é sofisticada, com braços, retratada em ambiente escuro com luz artificial.

Van Gogh e Gauguin
Vincent Willem van Gogh e Eugène Henri Paul Gauguin
 
 

O livro e a vela, inseridos no assento, é a representatividade do racional.

Para Gauguin, a imaginação e a razão estão acima da observação e da emoção.

O próprio chão denota a sofisticação, onde o tapete substitui a simplicidade do piso.

Toda a discórdia, o desprezo e as diferenças profissionais entre eles é vista de forma ampla ao compararmos as duas obras, pintadas num mesmo momento de vida.

 

 

Arte Digital sobre quadro de Gauguin - Modelo: Hannah - Arte Digital: Henrique Vieira Filho
Mixagem de modelo real sobre quadro de Gauguin
Modelo: Hannah
Arte Digital:
Henrique Vieira Filho
 
 

Essas discrepâncias resultaram em ataques de fúria, culminando no distanciamento e a mutilação física de Van Gogh.

Com a leitura desses elementos por meio da Arteterapia é possível identificar desequilíbrios, trabalha-los com a associação de técnicas, promovendo o bem estar e o equilíbrio das emoções.

 

É mais uma ferramenta na busca dos anseios interiores.

Maria de Fatima Rodrigues - CRT 38464

MARIA DE FATIMA RODRIGUES

Terapeuta Holística - CRT 38464

Atende com ARTETERAPIA, TERAPIA FLORAL

e PSICOTERAPIA HOLÍSTICA

www.fatima.arteterapeuta.com.br

fatima@arteterapeuta.com.br

Destaques da Edição