Orientações para elaboração de MONOGRAFIAS, em especial, para fins de cumprimento do requisito Comprovação de Capacitação Profissional, para fins de recebimento de CRT - Carteira de Terapeuta Holístico Credenciado e/ou para inclusão de Modalidade na CRT.

 

Fazer uma monografia implica em demonstrar a capacidade de articular idéias coerentemente, saber sintetizar conhecimento e colocá-lo em palavras, aprender a direcionar e organizar leituras, aprender a fazer pesquisa bibliográfica (busca, utilização, citações), ou seja, exercitar a capacidade de aprofundar um tema.

Toda literatura e normas técnicas para elaboração de monografias pressupõem metodologia científica. Como a Terapia Holística é ARTE, várias adaptações se fizeram necessárias, elaborando-se a síntese orientativa descrita a seguir.

A observância quanto à adequação do conteúdo às NTSV – Normas Técnicas Setoriais Voluntárias da Terapía Holística será bastante considerada na avaliação.


modelo para monografia serve como base para qualquer modalidade, e não especialmente desenvolvido para cada técnica.
 

Cada filiado deve enviar suas Monografias por e-mail (para contato@crt.com.br), em arquivo anexo, que pode ser salvo em formato texto, tais como .DOC , .RTF e .ODT, ou de documento portátil, .PDF.

Está em estudo uma NTSV específica, porém, sem possibilidade de implantação imediata, já que até o momento, temos praticado uma certa condescendência quanto ao formato de apresentação.

Por isso, se as monografias que apresentar estiver em padrão ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas, ótimo, lembrando, porém, que ainda não conquistamos tal grau de exigência, sendo nossa atenção maior quanto à inadequação de termos e de postura profissional, em conformidade com as NTSVs já implantadas há anos. 

E, claro, que o conteúdo aborde todas as modalidades com as quais o filiado deseje se credenciar, à semelhança de uma apostila de curso, tendo-se em mente que estaria "ensinando" a quem lê como aplicar as técnicas. 

Também não pré-determinamos um número adequado de páginas como sendo ideal, ainda mais porque nem sempre volume implica em bom conteúdo, porém, é certo que não será em uma ou duas páginas que alguém consegue desenvolver um tema... 

As monografias tem que ser enviadas por meio magnético (e-mail para contato@crt.org.br), pois isto em muito acelera o tempo de avaliação, além de ser ecologicamente correto, já que não desperdiça papel, nem espaço físico maior.
 
Para melhor auxiliar segue dois roteiros de apresentação, um mais simples, outro mais próximo do padrão ABNT, que é o ideal.

 

MODELO SIMPLIFICADO:

1)      APRESENTAÇÃO

O presente trabalho visa auxiliar  na confecção de sua monografia. Apresentaremos aqui, aquilo que se entende como o “conteúdo”, ou como a “estrutura lógica de um texto de pesquisa”. Via de regra, um trabalho obedece a uma divisão de 3 partes:

1a) A introdução

2a) O desenvolvimento do assunto

3a) A conclusão do trabalho


Num primeiro momento, estaremos apresentando a estrutura básica destas 3 partes. Na seqüência, estaremos apresentando algumas minúcias do desenvolvimento da monografia, incluindo a parte estética.

 

2)      OS COMPONENTES DA MONOGRAFIA

 

2.1) A Introdução

A introdução visa introduzir o leitor na temática que será discutida em todo o corpo da monografia. É também na introdução que irá ser delimitado claramente o campo de pesquisa realizado (ou seja, o tema escolhido). Curiosamente, é a última parte a ser redigida, embora na apresentação gráfica (composição final do trabalho) seja a primeira parte que aparece.

 

2.2) O Corpo do trabalho (desenvolvimento do assunto)

É a parte mais extensa do trabalho e, por que não dizer, a razão de todo o trabalho que está sendo desenvolvido. Analisa-se a idéia principal, desdobrando-a e reduzindo-a em quantas partes forem necessárias. Colocam-se também posições discordantes e elabora-se uma discussão o mais clara e precisa possível sobre o tema escolhido. Nesta parte levantam-se hipóteses e apontam-se caminhos de comprovação ou refutação. Por fim, é no corpo do trabalho que também são apresentadas as citações e os dados da pesquisa realizada para a elaboração do tema. Ao escrever esta parte da monografia, o aluno deve estar atento para que os títulos de cada capítulo exprimam claramente o que está sendo tratado naquele tópico. Os capítulos devem estar articulados numa seqüência lógica e inteligente, onde uma idéia vá complementando e acrescentando algo a idéia anterior.

 

2.3) A Conclusão

Como um rio que deságua no mar, a conclusão é o ponto final do trabalho. Na conclusão toda a discussão, todas as demonstrações, devem estar coerentes e integradas. O texto deve ser breve e ter uma profunda ligação com o “corpo”do trabalho, como uma espécie de “coroação” esperada e prevista ao longo de toda monografia. O objetivo da conclusão é exprimir sinteticamente as idéias principais desenvolvidas, retomando alguns argumentos decisivos. Ressaltar o alcance e as conseqüências dos esclarecimentos ali apontados são também desejados.


3) ESTÉTICA DA MONOGRAFIA

 

3.1) Folha e Texto


Texto digitado com letra tamanho 12 (Times, Arial)

Nas passagens dos parágrafos, recomenda-se espaço “3”.

Margem superio: 3 cm

Margem inferior: 1,5 cm

Margem esquerda: 3 cm (alguns autores recomendam 4 cm)

Margem direita: 2 cm

 

A numeração só não considera a capa. Começa a partir da página de rosto, embora esteticamente, a grafia destes números só apareça a partir do índice. Assim, os primeiros números de página a serem visíveis serão provavelmente o 4 ou o 5.


A numeração deve ser escrita ao centro ou à direita, na borda superior do papel

Início dos parágrafos: sete espaços após linha da margem esquerda.

 

3.2) Organização Material

 

3.2.1) Capa

Deve ser feita de um material mais resistente, preservando assim a duração da monografia contra os desgastes do tempo.

a)      Ao centro, na borda superior, em letras versais o SINTE - SINDICATO DOS TERAPEUTAS, especificando (quando houver) a sub-unidade pertencente.


Exemplo:

 

CRT - CONSELHO DE AUTO REGULAMENTAÇÃO DA TERAPIA HOLÍSTICA

INSTITUTO FULANO DE TAL


b)      No meio da capa, deve figurar o Título da monografia. Exemplo: CROMOTERAPIA


c)      Um pouco abaixo do título (uns 5 cm) deve estar o nome do autor da monografia, e logo abaixo, seu número de CRT.


Exemplo:

 

FULANA DE TAL

Terapeuta Holistica - CRT XXXXX


d)      Na borda inferior, aparecem o mês e o ano de conclusão da monografia. Exemplo: Setembro - 2012


3.2.2) Folha de rosto

Repetir exatamente o que está na capa. A contagem das folhas começa nesta parte, embora, ainda não seja grafada a numeração.

Observação: Algumas capas plásticas são transparentes e, dessa forma, irão apenas transparecer o que está na folhade rosto.

 

3.2.3) Dedicatória

Opcional. Pode conter também uma frase ou pensamento.


3.2.4) Índice

É a última folha a ser digitada, embora apareça na apresentação gráfica imediatamente após a folha de rosto. Devemconstar os títulos de capítulos e subtítulos mais importantes, com a devida numeração.


3.2.5) Prefácio

Corresponde à Introdução da Monografia, onde o autor irá apresentar suas pretensões.


3.2.6) Corpo da Monografia

Por ser a parte mais extensa, deve ser dividido em partes lógicas e concatenadas. Normalmente obedece-se aos seguintes parâmetros (que servem apenas como sugestão):

Primeiro: apresentam-se dados históricos. Ex: Quando surgiu a cromoterapia; Quem a inventou, etc...

Segundo: Apresentação de opiniões contrárias e divergentes. Ex: Mitos e Erros sobre a Cromoterapia. A visão dos Céticos, etc...

Terceiro: É onde as hipóteses da monografia são claramente apresentadas, refutando-se as possíveis divergências, e assumindo-se uma posição definitiva, que contará com dados de pesquisas, bibliografias, etc.


3.2.7) Conclusão

Corresponde ao capítulo final da monografia. Não traz nada de novo, apenas reforça sinteticamente o material antes discutido.


3.2.8) Anexos e/ou Apêndices

Opcionais: São inclusões de textos ou de ilustrações complementares.

Reparem que: Apêndices são textos de autoria própria. Anexos são textos extraídos de fontes bilbiográficas.


3.2.9) Bibliografia

Enumeração dos autores e obras consultadas para elaboração da monografia. Deve ser feita em ordem alfabética dos sobrenomes dos autores.

a)      Sobrenome do(s) Autor(es) ou da entidade em letras maiúsculas, com nome abreviado. No caso de mais de um autor, separam-se os nomes por ponto-e-vírgula (Ex: FULANO, J.; SICRANO, B.)

b)      Ponto

c)      Título da Obra em Letra comum, sublinhada ou em itálico

d)      Ponto

e)      Edição (cita-se somente a partir da segunda. É desnecessário colocar 1a. edição).

f)        Vírgula

g)      Local da Publicação

h)      Dois Pontos (:)

i)        Editor ou editora

j)        Vírgula

k)      Data (ano)

l)        Ponto

 

Exemplo:

BANDLER, R.; GRINDER, J. Ressignificando – Programação Neurolinguística e a transformação do Significado. 2a. edição, São Paulo: Summus, 1986.


3.2.10) Páginas Finais

Última página em branco


3.3) Utilização de Itálicos, Sublinhados, Negritos e Versais

i) Utilizam-se itálicos ou sublinhas simples para títulos de obras citadas, palavras estrangeiras, expressões consagradas (ditados populares), bem como passagens breves que o autor queira chamar a atenção.

ii) Utilizam-se negritos ou sublinhas duplas  para subtítulos ou itens dos capítulos.

iii) Utilizam-se VERSAIS no título da própria monografia, nos títulos das partes, seções e capítulos. Também em nomesde autores citados em notas de rodapé e na bibliografia.


3.4) A Posição dos Títulos

Títulos dos capítulos, do índice, da bibliografia, dos anexos e apêndices devem sempre abrir uma nova folha da monografia. Centrado e na margem superior

Já os títulos de itens e subdivisões podem aparecer à esquerda, e não abrem necessariamente uma nova folha.


3.5) As Citações

São as transcrições de documentos bibliográficos. Aparecem em itálico e “entre aspas”. Exemplo:

“O Mestre parece louco algumas vezes, algumas vezes irracional, algumas vezes cabeça-dura. Mas a única razão porquê ele não pode se comportar como você (...) é que ele se tornou acordado, e a multidão está profundamente adormecida” (OSHO. Ah, Isto! São Paulo: Editora Gente).

 

3.6) As Notas de Rodapé

Os Números das notas de rodapé são escritos em arábico.

Utilizam-se espaço simples.

i) Servem para indicar fontes.

Exemplo: na citação do texto acima, os dados da fonte poderiam ser substituídos pela numeração de rodapé:

“O Mestre parece louco algumas vezes, algumas vezes irracional, algumas vezes cabeça-dura. Mas a única razão porquê ele não pode se comportar como você (...) é que ele se tornou acordado, e a multidão está profundamente adormecida” 1.

 

E depois no rodapé:

1 OSHO. Ah, Isto! São Paulo: Editora Gente

 

ii) Servem para indicar textos paralelos ou para transcrever textos originais.

iii) Servem para comentários paralelos do autor ou do tradutor.

 

MODELO INSPIRADO NO PADRÃO ABNT:

SELEÇAO DO TEMA

A escolha compete ao próprio discente. A temática deve ser-lhe motivante, sendo significativa em sua história pessoal e profissional.

Pode ser uma síntese de vários aprendizados que estão separados em técnicas distintas, mas ainda pertencentes à Terapia Holística.

Por exemplos, se o curso for de Holopuntura, poderia ser: Holopuntura e Bioenergética, Holopuntura e Geoterapia, etc.

Outra opção seria dissertar sobre um tema teórico, como "A Visão Junguiana dos Arquétipos Aplicadas à Holopuntura", "A Leitura Corporal Antecipando o Conhecimento das Emoções Reprimidas A Serem Alfloradas pela Holopuntura", etc.

Que tal se fosse a criação de material didático, sintetizando e organizando temas em apostilas, para ministrar um curso livre sobre Holopuntura ? Ou mesmo, a criação de um livro !

Pode ser uma pesquisa empírica, a partir da experiência concreta pessoal, algo como "Avaliação dos resultados da aplicação de Holopuntura em 10 clientes", ou "A Resistência à Terapia, Antes de Depois da Inclusão da Técnica de Holopuntura", ou "Discussão de Um Caso de Holopuntura Em Atendimento Semanal Por Um Ano”, ou ainda "Relato da Inclusão da Holopuntura Em Um Spa", etc.

Pode ser também o aprofundamento de temas da Holopuntura, por exemplo "Holopuntura na Terapia Corporal", "Holopuntura e os Efeitos dos Estímulos Cromopunturais", "Holopuntura e o Atendimento a Vestibulandos.

FORMATAÇÃO

O Trabalho de Conclusão de Curso deve ser remetido exclusivamente em meio magnético (arquivo de computador, via e-mail, ou disquete), salvo em formato universal (ou .doc, ou .rtf, ou .pdf).

Considerando que cada página terá, em média, 55 linhas, o desenvolvimento do texto (Introdução + Material e Metodologia + Resultados + Discussão + Conclusões) deve ocupar um mínimo de 15 páginas.

Digitação do Documento - Recomenda-se a utilização da fonte arial ou times new roman, tamanho 12 (tipos itálicos são usados para nomes científicos e expressões estrangeiras), em espaço dum e meio (1,5), (exceto as referências bibliográficas, que devem ter espaço um (1), ocupando apenas o anverso da página.

Configuração de Páginas - Tamanho A4, contendo margem superior de 2 cm e inferior com 2 cm; margem esquerda de 3 cm e direita com 2 cm, contendo numeração no canto superior direito, para a a qual só não considera a capa. Começa a partir da página de rosto, embora esteticamente, a grafia destes números só apareça a partir do índice. no canto superior direito, sem traços, pontos ou parênteses. A numeração das páginas preliminares (a partir da página de rosto até a última folha antes do texto) é opcional. Caso sejam numeradas, utilizar algarismos romanos representados por letras minúsculas (i, ii, iii, iv, etc.). Em se fazendo tal opção, a página de rosto (página i), não deve ser numerada, iniciando-se a numeração na página seguinte (página ii). Havendo anexos, suas páginas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento a do texto principal.

ESTRUTURA DO TRABALHO

Capa - Deve constar autoria, título do trabalho, local e data, dispostos a critério do autor. A inclusão de outros elementos é opcional.

Página de Rosto - Deve conter o nome completo do discente e seu número de CRT; o título do trabalho e subtítulo quando houver, separado do título por dois pontos (quando for explicativo) ou ponto e vírgula (quando se tratar de subtítulo complementar); o nome da instituição e departamento (CRT - CONSELHO DE AUTO REGULAMENTAÇÃO DA TERAPIA HOLÍSTICA. – Comunidade de Estudos Avançados em Terapia Holística); indicação da disciplina (Terapia Floral de Bach); nome e CRT do orientador (Henrique Vieira Filho – CRT 21001); local e data.

Epígrafe (opcional) - Esta página é opcional, tendo uma citação de um pensamento que, de certa forma, embasou ou inspirou o trabalho. Pode ocorrer, também, no início de cada capítulo ou partes principais.

Dedicatória (opcional) - Página opcional, tendo um texto, geralmente curto, no qual o autor presta alguma homenagem ou dedica o seu trabalho a alguém.

Agradecimentos (opcional) - Página opcional, podendo ser incluídas aqui referências a Instituições ou pessoas que subvencionaram o trabalho.

Sumário - Consiste na enumeração dos capítulos do trabalho, na ordem em que aparecem no texto, com a página inicial de cada capítulo. Os capítulos devem ser numerados em algarismos arábicos, a partir da Introdução até as Referências Bibliográficas. Havendo subdivisão nos capítulos, deve ser adotada a numeração progressiva, sempre em número arábico.

Resumo - num máximo de 10 linhas, descrever do que se trata, como foi desenvolvida a monografia e conclusões mais importantes.

Introdução - apresentação do tema, acompanhada de uma descrição breve da importância do mesmo para si e para a coletividade, e um apanhado do que será o conteúdo da monografia.

Material e Metodologia - É a descrição precisa dos métodos, materiais e equipamentos utilizados, de modo a permitir a repetição dos ensaios por outros pesquisadores. Por exemplo, no caso de uma intervenção com Terapia Floral de Bahc em uma escola, descrever as características e nome da entidade, como se obteve acesso a ela, pessoas que colaboraram, que tipo de intervenção foi realizada, quantos alunos foram atendidos etc.. No caso de uma compilação teórica, relato das fontes consultadas, pontos de confluência e divergência entre as mesmas, lacunas existentes.

Resultados – apresentação, em ordem lógica, do que resultou da intervenção ou estudo realizados, sem interpretações pessoais. Podem ser acompanhados por gráficos, tabelas, mapas e figuras.

Discussão - avaliação crítica (incluindo seu ponto de vista pessoal) dos resultados da pesquisa, os quais são analisados e comparados com os já existentes sobre o assunto na literatura citada. São discutidas suas possíveis implicações, significados e razões para concordância ou discordância com outros autores. A discussão deve fornecer elementos para as conclusões.

Conclusões - Devem ser fundamentadas nos resultados e na discussão, contendo deduções lógicas e correspondentes, em número igual ou superior aos objetivos propostos. Refere-se à introdução, fechando-se sobre o início do trabalho. Decorre de tudo o que foi exposto anteriormente, a importância disso, o que se pode afirmar que parece ser verdade, o que parece ser possível descartar, as questões que ainda deixam dúvidas. Apontar caminhos de desenvolvimento posterior do tema.

Referências bibliográficas - listagem das obras citadas ou utilizadas como base conceitual ou metodológica do trabalho desenvolvido, de maneira a permitir ao leitor interessado a possibilidade de acessar o material listado. Deve ser feita em ordem alfabética dos sobrenomes dos autores. Sequência de apresentação para cada obra citada: Sobrenome do(s) Autor(es) ou da entidade em letras maiúsculas, Nome (pode ser abreviado). (Ex: FULANO, J.; SICRANO, B.).Título da Obra (sublinhada ou em itálico). Edição, Local da Publicação, Editor ou Editora, Ano de Publicação.

Anexos e Apêndices - Anexos são partes integrantes do texto, mas destacados deste para evitar descontinuidade na sequência lógica das idéias. Constituem suportes elucidativos e ilustrativos para a compreensão do texto. Apêndices constituem suportes elucidativos e ilustrativos, porém não essenciais à compreensão do texto. Quando existe a necessidade, no trabalho, de vários anexos ou apêndices, cada um deles deve ter no alto da página a indicação em letras maiúsculas , seguido do número correspondente em algarismo arábico. No texto devem ser citados entre parênteses.